A carregar

Working Papers

Com vista a melhor divulgar os trabalhos dos seus investigadores e colaboradores, bem como a incentivar a partilha e discussão de dados numa fase inicial da pesquisa, o CRIA decidiu institucionalizar uma linha de Working Papers. Será uma colecção exclusivamente disponibilizada online, na própria página do centro, e de acesso público. Os textos a publicar podem ser, como a própria colecção indica, trabalhos em curso, artigos já finalizados, notas de pesquisa ou mesmo comunicações em encontros científicos que tenham a qualidade suficiente para serem disponibilizados publicamente.

Se bem que os working papers não representem uma publicação no sentido clássico do termo, não deixam de ser documentos oficiais, que passam a ser divulgados, circulam e são citados como uma qualquer outra publicação em papel. Para garantir um elevado standard de qualidade da colecção, os textos recebidos serão apreciados pelos coordenadores após o que será comunicada a decisão ao autor.

Por favor, descarregue aqui as normas de submissão do manuscrito.

 


Working Paper Nº22

"Ribatejo: notas sobre Geografia e História" - Pedro Silva Sena

Working Paper Nº21

“Visões sobre os cuidados informais no processo de criação do estatuto do cuidador informal em portugal – (a ausência de) uma perspetiva de género” - Sara Canha

Working Paper Nº20

"Intimidade e Emoções num Centro de Acolhimento de Refugiados em Portugal" - Marta Lemos

Working Paper Nº19

“As teorias da etnicidade: entre as representações essencialistas da cultura e a desconstrução crítica dos conceitos” - José Cavaleiro Rodrigues

Working Paper Nº18

"Mulheres e (In)visibilidades: Notas sobre formas de visibilidade, cerceamento e violências contra mulheres" - Aureliano Lopes, Bruna Potechi, Cecília Menduni Luís, Juliana dos Santos Pereira Moraes, Laís Rodrigues, Rita Costa

Working Paper Nº17

“The anthropologist and the bioengineer: A theoretical reflection on some preconditions for ethnographic collaborations in Personalized Medicine” – José Carlos Pinto da Costa

Working Paper Nº16

“Campinos, touros e cheias na lezíria: produção social das representações hegemónicas do Ribatejo” – Pedro Silva Sena

Working Paper Nº15

“Casas (pós-) rurais. Mobilidade, arquitetura e trajetórias identitárias” – Ana Saraiva

Working Paper Nº14

“Uma etnografia multi-situada em torno da prática e difusão da Kizomba” – André Castro Soares

Working Paper Nº13

“The Museum is Us All (O Museu Somos Todos), Odemira: community, place and memory in a site-specific participatory art project” – Catarina Barata

Working Paper Nº12

“Care as sustainability in times of crisis: Between welfare-state and interpersonal relationships in Portugal” – Antónia Pedroso de Lima

Working Paper Nº11

“Cuidar, ser cuidado e viver em contexto de crise: Aspectos económicos das relações interpessoais” – Antónia Pedroso de Lima

Working Paper Nº10

“Spaces of Memory: The Construction of Colonial and Post-Colonial Spaces in the Memories of Former Portuguese Colonizers” – Mário Machaqueiro

Working Paper Nº9

“O Historiador, o Leitor, o Rei e as Amantes deles: Sobre alguns efeitos perversos do fim das teorias” – Ângela Miranda Cardoso

Working Paper Nº8

“Aprender português para falar com as pessoas. Reflexões sobre processos de reconfiguração identitária em contextos de imigração.” – Cristina Valentim

Working Paper Nº7

“What about those shoes? Street children and NGOs in Maputo, Mozambique” – Andrea Moreira

Working Paper Nº6

“Maternidade e Identidade em Contexto de Imigração” – Elizabeth Challinor

Working Paper Nº5

“Ao “mel” e ao “tabaco”: sobre Relação Social” – Leif Grünewald

Working Paper Nº4

“O Paradoxo das Oportunidades. Jovens, relações geracionais e transformações socias – notas sobre Cabo Verde” – Filipe Martins

Working Paper Nº3

“Le temps des «Bilgueitts»: un village «maraboutique» Sahélien au XXIème siècle” – Francisco Freire

Working Paper Nº2

“From home to the street: Children’s street-ward migration in Cape Verde” – Lorenzo I. Bordonaro

Working Paper Nº1

“Ser mas não ser, eis a questão. O problema persistente do essencialismo estratégico.” – Miguel Vale de Almeida