encontros_cientificos Encontros científicos | Scientific meetings fora_academia Fora da academia | Outside the academy

A carregar Eventos

« Todas as iniciativas

  • Este evento já decorreu.

Ser mãe duas vezes: filhos de criação e os descompassos entre a fertilidade e a domesticidade no Nordeste do Brasil (Ana Luísa Micaelo)

22/05/2017, 18:00 - 20:00

“Ser mãe duas vezes: filhos de criação e os descompassos entre a fertilidade e a domesticidade no Nordeste do Brasil”
Ana Luísa Micaelo (CRIA/ISCTE-IUL)

22 de maio de 2017, 18h-20h
Auditório Silva Leal, Ala Autónoma, ISCTE-IUL


Resumo

Este seminário enquadra-se no debate antropológico acerca da diversidade das relações familiares, designadamente, no que concerne a discussão em torno da filiação, parentalidade e conjugalidade. A investigação baseia-se empiricamente na descrição da vivência quotidiana das relações entre parentes num assentamento de reforma agrária localizado na Zona da Mata de Pernambuco, no Nordeste do Brasil, onde a antropóloga realizou trabalho de campo entre 2009 e 2012. O ponto de partida é a centralidade da casa na experiência de vida familiar, tanto daqueles que residem numa parcela de terra no assentamento, como dos que estão ausentes. Adoptando uma abrangência temporal que tem em conta as várias fases do ciclo de vida, apresentar-se-à etnograficamente como a possibilidade de vir a ser mãe pode ser prolongada além do período fértil de uma mulher, por exemplo, quando esta recebe em sua casa os filhos dos seus filhos, ou outras crianças, que vêm a tornar-se seus «filhos de criação». Esta processualidade presente nos actos continuados de «criação» ou «consideração» difere da noção estrita de parentesco biológico (sem no entanto a anular), enriquecendo as conceptualizações teóricas acerca da natureza desta relação.


Nota biográfica

Ana Luísa Micaelo é doutorada em Antropologia. A sua dissertação foi recentemente publicada pela Imprensa de Ciências Sociais com o título «Essa terra que tomo de conta»: Parentesco e Territorialidade na Zona da Mata de Pernambuco (2016). Nesse trabalho dedicou-se à descrição e problematização das práticas familiares relacionadas com o uso e posse da terra nos assentamentos de reforma agrária do Nordeste do Brasil. Desde Outubro de 2015 está integrada no CRIA como Investigadora de pós-doutoramento, retomando a pesquisa sobre a relação entre família e propriedade no contexto português com o projecto intitulado «A casa da dívida: restrições ao crédito e casa própria no Portugal contemporâneo».


Detalhes

Data:
22/05/2017
Hora:
18:00 - 20:00
Categorias de Evento:
,

Organização

CRIA

Local

ISCTE-IUL
Av. das Forças Armadas 376
Lisboa, 1600-077 Portugal
+ Mapa do Google