Investigação

O projeto do CRIA estrutura-se sobre o compromisso dos seus investigadores com a antropologia enquanto ferramenta indispensável para investigar a complexidade da relação das pessoas com a vida social e cultural. Este compromisso traduz a vontade de entender como as pessoas transformam ativamente o seu mundo através da prática e do discurso; como as diferenças criadas ideológica, material e estruturalmente resistem à ontologia e homogeneidade social; e como as diferentes conexões forjadas entre coisas, pessoas e entidades reconfiguram as relações entre local e nacional, macrorregional e global, redes e grupos, o presente etnográfico e os seus modos de constituição histórica. A investigação realizada no âmbito do CRIA pretende deste modo produzir pontos de vista alternativos e matizados sobre o mundo, intervir em debates alargados no campo das ciências sociais, e envolver-se em debates públicos através do exame crítico de relações de desigualdade e empoderamento.

A coerência do projeto de investigação do CRIA é sustentada por uma estrutura composta por quatro grupos de investigação, complementados por linhas temáticas e núcleos de trabalho transversais, e apoiados por quatro laboratórios de apoio à investigação e à formação avançada. Cada um destes grupos, linhas e núcleos integra investigadores das quatro subunidades institucionais do centro e explora temas de investigação autónomos, contribuindo para a diversidade e independência da pesquisa no CRIA. No entanto, todos dialogam e convergem em três tópicos principais: 1) desigualdade e poder; 2) inovação cultural e criatividade social; 3) produção e discurso antropológicos como modo de envolvimento crítico e intervenção na sociedade. Se os dois primeiros tópicos derivam dos enquadramentos temáticos de cada grupo, o terceiro ponto manifesta o empenho em reforçar o papel da antropologia na esfera pública.

Como estratégia para a investigação, o CRIA procura consolidar o trabalho desenvolvido por cada grupo, linha e núcleo através do reforço das bases teóricas e metodológicas comuns a todos os investigadores, do incentivo à publicação nacional e internacional dos resultados de pesquisa, e da promoção de projetos de investigação de âmbito multidisciplinar, internacional e interinstitucional.