Fins de tarde com a Antropologia

Organização: Sónia Vespeira de Almeida, Rita Cachado (CIES-IUL)


Iniciados em 2014, os encontros Fins de Tarde com a Antropologia: Conversas sobre Arquivos Etnográficos trazem mensalmente um par de investigadores que partilham reflexões sobre os seus registos. Com o objetivo de fornecer formação técnica através de alguma informalidade (a ideia de conversa a isso aspira), o ciclo visa também desmultiplicar pontos de vista a partir dos contributos dos investigadores que se dedicam de modo prolongado ao método etnográfico.

As etnografias são registadas de várias formas e são várias as maneiras como os registos são guardados. Não raras vezes, os antropólogos refletem sobre os seus arquivos mais ou menos organizados, mas raramente tornam públicas essas reflexões. Pouco sabemos igualmente sobre o que pretendem os antropólogos fazer aos seus diários de campo, às suas imagens, mapas, desenhos, aos seus registos áudio, entre outros. E como têm sido guardados os seus dados?

Algumas hipóteses de trabalho balizam esta iniciativa. Retomando as propostas de Roger Sanjek, que usos se podem fazer do diário de campo? Como se lida com os dados etnográficos quando mais investigadores trabalham na mesma área? Que papel desempenham os vários materiais recolhidos no terreno no momento de análise? Os materiais etnográficos produzidos no presente podem ser vistos como arquivos históricos no futuro?