encontros_cientificos Encontros científicos | Scientific meetings fora_academia Fora da academia | Outside the academy

A carregar Eventos

« Todas as iniciativas

  • Este evento já decorreu.

Teorias locais da formação e reprodução das florestas de castanhais entre quilombolas do Alto Trombetas/PA/ Brasil (Igor Scaramuzzi)

07/04/2017, 15:00 - 17:00

Conferência
“Teorias locais da formação e reprodução das florestas de castanhais entre quilombolas do Alto Trombetas/PA/ Brasil”
Igor Scaramuzzi (Universidade Estadual de Campinas)

7 de abril de 2017, 15h
Sala Multiusos 3, Ed. ID, FCSH/NOVA

Organização: DASE / CRIA


Resumo

O extrativismo comercial da castanha do Pará ou castanha do Brasil (Bertholletia excelsa), que constituem as florestas de castanhal, é uma atividade de importância fundamental para os quilombolas habitantes do Alto Trombetas, município de Oriximiná, estado do Pará, Amazônia, Brasil. Desde os tempos da escravidão, quando se estabeleceram na região, até os dias de hoje essa atividade é a mais importante forma de intercâmbio comercial com os segmentos sociais envolventes. O extrativismo da castanha reverbera de modo importante nas formas de conhecimento e relação com os seres vivos, nas formas de habitação e uso do território e na organização social e do trabalho desta população. A apresentação irá abordar as teorias dos quilombolas a respeito da formação e reprodução das florestas de castanhais. Estas teorias revelam as relações das castanheiras com os sujeitos que os quilombolas compreendem serem os responsáveis pela produção e reprodução desse ambiente: as cutias, as abelhas, os tipos vegetais que vivem no sub-bosque e os seres humanos. Algo muito importante que nos diz tais teorias é que entre humanos e castanheiras no Alto rio Trombetas não há uma interação de caráter predatório, mas uma relação de parceria inserida em uma rede mais ampla de relações. A socialidade que se configura nos ambientes de castanhal é baseada na relação de ajuda mútua desses diferentes sujeitos para com a castanheira, sem nenhum deles ser mais importante que outro. Todos os envolvidos atuam nas diferentes etapas do ciclo anual da árvore, configurando, portanto, uma interação sem princípios hierárquicos e sem a presença de relações de dominação.


Nota biográfica

Igor Scaramuzzi possui Bacharelado e Licenciatura em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho/UNESP (2001) e mestrado em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo/Usp (2008). É doutor em Antropologia Social pela Universidade de Campinas/Unicamp desenvolvendo pesquisa sobre o extrativismo da castanha do Pará com ênfase nas relações e na produção e transmissão de conhecimentos sobre a Natureza entre os quilombolas do Alto Trombetas/ Pará. Desde 2002, atua na Amazônia como consultor de projetos que envolvem educação, cultura/patrimônio e terra/meio ambiente para populações indígenas e tradicionais.


Detalhes

Data:
07/04/2017
Hora:
15:00 - 17:00
Categorias de Evento:
,

Organização

CRIA

Local

NOVA FCSH
Av. Berna
Lisboa, Portugal
+ Mapa do Google