encontros_cientificos Encontros científicos | Scientific meetings fora_academia Fora da academia | Outside the academy

Carregar Eventos

« Todas as iniciativas

Mesa redonda “Diálogo entre a Paleopatologia e a Radiologia”

7 Julho, 15:00 - 18:00

Mesa redonda
“Diálogo entre a Paleopatologia e a Radiologia”
Carina Marques (CIAS, LFA, William Paterson University, EUA)
Carlos Prates (IMI)
Carlos Oliveira (IMI, IPO)
Francisca Alves-Cardoso (CRIA/FCSH, LABOH)
Nathalie Antunes-Ferreira (CRIA/FCSH, LABOH, LCFPEM, CiiEM/ISCSEM)
Sandra Sousa (IMI)

7 de julho, 15h-18h
Auditório 1, Torre B, FCSH/NOVA

Entrada livre (mediante inscrição) até ao dia 3 de julho.
Inscrições: http://bit.ly/2q9G1kk


Sobre a mesa-redonda:

Esta mesa-redonda procurar criar pontes entre a paleopatologia, disciplina que estuda as doenças do passado, e a radiologia. A discussão de casos patológicos com etiologia reumática e oncológica diagnosticados em restos humanos esqueletizados, i.e. esqueletos provenientes de contextos arqueológicos e de colecções identificadas nacionais serve este propósito, uma vez que alia a análise macroscópica, a olho nu, das lesões ósseas, método primário na paleopatologia, com a análise radiológica. Esta complementaridade de métodos permite um diálogo profícuo no que concerne ao estabelecimento do diagnóstico diferencial essencial em paleopatologia, assim como nas ciências médicas.



Biografia dos participantes:

Carina Marques é antropóloga e desenvolve investigação na área da paleopatologia. Licenciou-se na Universidade de Coimbra, onde desenvolveu investigação na abordagem multidisciplinar ao estudo da doença nas populações do passado. Especializou-se na área da paleo-oncologia, onde abordou os aspetos macroscópicos e radiológicos das neoplasias malignas. É membro da equipa internacional do projecto Global History of Health e editora associadada do International Journal of Paleopathology. É colaboradora do Centro de Investigação em Antropologia e Saúde (CIAS), Universidade de Coimbra e professora-adjunta da William Paterson University, EUA.

Carlos Prates é médico, licenciado em Medicina (1975) pela Universidade Clássica de Lisboa. Especializou-se em Radiologia pela Ordem dos Médicos em 1983, sendo um dos médicos fundadores do IMI, Imagens Médicas Integradas, onde trabalha. A sua especialidade médica e o seu interesse de longa data por história e arqueologia conjugaram-se na rara oportunidade de, para além do diagnóstico radiológico em medicina, poder trabalhar em análise não destrutiva por Raios-X em Arte e Arqueologia. Tal possibilitou o arrancar em 2002 do IMI-art, sector do IMI que tem desde então tem colaborado em vários projectos e investigações, dos quais o mais mediático é o Lisbon Mummy project, em parceria com o Museu Nacional de Arqueologia.

Carlos Nuno Rodrigues de Oliveira nasceu em Lisboa em 1974. Concluiu a sua Licenciatura em Medicina em 1999 pela Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa. Fez a especialização em Radiodiagnóstico no IPOLFG (Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil), que concluiu em 2007. É Médico Assistente Hospitalar de Radiologia no Serviço de Radiologia do IPOLFG desde 2007 e exerce funções no IMI-Imagens Médicas Integradas desde 2005. Procurando aliar a sua paixão pela Radiologia e pela História, em 2010 integrou-se no grupo de Radiologistas do IMI-Art, sector do IMI dedicado à análise não destrutiva por Raios-X em Arte e Arqueologia. Desde então tem colaborado em vários projectos e investigações do IMI-Art, dos quais se destaca o “Lisbon Mummy Project”, o qual foi realizado em parceria com o Museu Nacional de Arqueologia.

Francisca Alves Cardoso (FAC) é investigadora auxiliar do CRIA – Centro de Investigação em Antropologia. Em 2014 ela foi premiada com contrato FCT Investigador para desenvolver o projecto – Moldar Vazios e Construir Pontes: Abordagem ético e social das Colecções Osteológicas Humanas e Identificadas de Portugal (COHI), que visa construir uma ponte entre a ciência e a sociedade sobre a importância das COHI, considerando o seu valor científico, social e cultural, assim como implicações éticas. FAC é também responsável pelo LABOH – Laboratório de Antropologia Biológica e Osteologia Humana, e responsável pelo projecto exploratório do CRIA – BONEMATTERS – que explora a biologia do esqueleto numa perspectiva teórica e prática. O projecto foca a forma como a biologia do esqueleto é empregue para compreender e reconstruir a saúde e riqueza humana no passado, incluindo inferir construções sociais e culturais; e destaca os vários discursos associados com o estudo/uso da biologia do esqueleto e restos humanos esqueletizados na ciência, tecnologia e humanidades e seu impacto na sociedade. FAC incentiva um debate construtivo sobre os métodos utilizados na medição e interpretação de biologia do esqueleto, e lesões patológicas, promovendo a utilização de novas tecnologias e abordagens à biologia humana, tanto do passado como do presente, assim como no interface entre seres humanos e ambiente.

Nathalie Antunes-Ferreira é antropóloga doutorada em Antropologia Biológica pela FCSH da Universidade NOVA de Lisboa. É Professora Auxiliar no Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz (ISCSEM) e investigadora do CRIA e do CiiEM/ISCSEM. Dedica-se ao estudo das populações do passado nas vertentes da Antropologia Funerária e Paleobiologia, privilegiando a abordagem biocultural centrada na utilização de dados sociais, económicos, culturais, etnográficos e biológicos. Foca, neste momento, o seu trabalho, na repercussão das desigualdades sociais na saúde. Em paralelo, desenvolve, desde 1998, actividade freelance nas áreas da Arqueologia e Antropologia, tendo participado e coordenado mais de uma centena de intervenções arqueológicas em necrópoles, bem como estudos paleobiológicos.

Sandra Sousa é médica, licenciada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova, desde 1998. Especializou-se em Radiodiagnóstico pela Ordem dos Médicos em 2006, trabalhando como médica Radiologista desde então. Integra a equipa do IMI-art desde 2007, tendo iniciado a sua colaboração entre a Radiologia e a Arqueologia integrando o Lisbon Mummy Project. A partir de então, colaborou em vários projectos de integração entre a Radiologia e a Arqueologia, divulgando sempre que possível, no meio radiológico e académico, a frutuosa experiência do verdadeiro trabalho em equipa multidisciplinar.

Detalhes

Data:
7 Julho
Hora:
15:00 - 18:00
Evento Categorias:
,

Organização

CRIA

Local

FCSH/NOVA
Av. Berna
Lisboa, Portugal
+ Mapa Google