Entre predadores: relação com a natureza a propósito da reintrodução de lince-ibérico

Investigador responsável: Margarida Lopes Fernandes
Grupo de investigação: Desafios Ambientais, Sustentabilidade e Etnografia
Tipo de projeto: Doutoramento
Estado: Em curso
Palavras-chave: Relações humano/não-humano | Percepções sociais | Predador selvagem | Conhecimento local | Conservação da natureza


Instituição principal: CRIA
Instituições participantes: n.a.
Financiamento: FCT
Referência: SFRH/BD/75769/2011
Data de início: 01-05-12

Mais informação: link

Resumo

O presente estudo debruçou-se sobre as percepções, representações e apropriações dos predadores selvagens em Portugal aprofundando o caso da reintrodução do lince-ibérico em duas áreas do Alentejo. Entre 2012 e 2015 foram conduzidas 98 entrevistas semi-estruturadas a actores chave residentes nessas áreas, foram realizadas observações no terreno de práticas e registadas conversas informais e debates ocorridos em reuniões entre administração e população local. Foram obtidos dados sobre: memória da presença histórica de lince-ibérico, práticas com predadores e animais selvagens e integração nas actividades locais, conhecimentos sobre ecologia da espécie, emoções e valores sobre lince e espécies selvagens, posicionamento face ao processo de reintrodução e relação da população local com as normativas relativas à conservação da natureza (criação de áreas classificadas como parques naturais). Obtiveram-se também categorizações empíricas dos informantes relativas aos predadores carnívoros, predadores domésticos (cão e gato) e humanos. Os resultados indicam tendências que contribuem para os seguintes debates da Antropologia: 1) As populações rurais estudadas, integradas num contexto ocidental e face à actual vivência global do neoliberalismo, apresentam um discurso materialista, contestando um retorno financeiro sobre a reintrodução do lince. A natureza é um objecto mercantilizado, prrevalecendo o utilitarismo ainda que existam valores do tipo ecocêntrico, humanista e de orientação conservacionista. A vivência dos espaços naturais é percepcionada pelos locais como um modelo externo de “parques naturais restritos de preservação dos valores naturais’ e no qual não existe muita participação activa; 2) A relação humanos-predadores ou humanos e não-humanos parece seguir um modelo dualista em que a natureza é vista como algo fora do domínio doméstico, a controlar. Ideias de pureza, beleza, exótico são exploradas em torno do conceito selvagem; 3) Este estudo caso, integrado num projecto de conservação de uma espécie emblemática, reforça e exemplifica o papel da Antropologia aplicada. A aplicação da abordagem etnográfica para um conhecimento aprofundado da trama existente à volta de um processo como a reintrodução é inovadora em Portugal. A integração da Antropologia nas questões da conservação da natureza pode permitir uma maior participação dos actores chave e das populações locais nos processos de decisão.

Investigadores do CRIA

IDNomeFunçãoProjTítuloTipo de projetoEstado
pub6*Amélia Frazão MoreiraOrientador/Supervisorproj104*Entre predadores: relação com a natureza a propósito da reintrodução de lince-ibéricoDoutoramentoEm curso
pub318*Margarida Lopes FernandesBolseiroproj104*Entre predadores: relação com a natureza a propósito da reintrodução de lince-ibéricoDoutoramentoEm curso
Outros investigadores

InvestigadorFunçãoInstituiçãoProjOutrosTitulo_PT