encontros_cientificos Encontros científicos | Scientific meetings fora_academia Fora da academia | Outside the academy

Loading Events

« All Events

  • This event has passed.

TOMAR POSIÇÃO | O POLÍTICO E O LUGAR

12/09/2016

TOMAR POSIÇÃO | O POLÍTICO E O LUGAR
Curso Experimental em Estudos de Performance

12 de setembro de 2016 – 14 dezembro de 2016
Escola das Gaivotas, Lisboa


A posição define-se tradicionalmente como um conjunto de coordenadas, que podem ser mudadas – daí que se ‘tome’ uma ‘posição’, ainda que tal possa não implicar mais do que permanecer no lugar, ou mudar de disposição. Por ‘tomar posição’ entendemos a atenção à implicação do lugar a partir do qual agimos – lugar geográfica e historicamente situado, social e culturalmente marcado. Tomar posição é pois assumir a dimensão situada de qualquer acção, processo ou objecto – e atentar às políticas e às economias das práticas a que damos corpo.

TOMAR POSIÇÃO | O POLÍTICO E O LUGAR, Curso Experimental em Estudos de Performance (CEEP) constitui-se como proposta de encontro em estudo, estudo para encontros a haver, numa convergência de práticas de leitura, discussão, investigação e experimentação: um curso com a duração de três meses, ao longo dos quais se experimentam ferramentas, metodologias, temáticas, problemas e limitações afins aos Estudos de Performance, com o intuito de interrogar o presente.

Os Estudos de Performance, Estudos da Performance, Estudos Performativos ou Estudos sobre Performance (como já foram chamados) são um campo interdisciplinar de pesquisa que cruza as humanidades, as ciências sociais e a arte. Encontram-se entre o teatro e a antropologia, os estudos de folclore e a sociologia, a história, a semiótica e a teoria crítica, os estudos de género e a psicanálise, a teoria da cultura popular e dos media, os estudos culturais, os estudos pós-coloniais e o pós-estruturalismo, entre os eventos performativos e o performativo dos eventos. Procuram produzir as lentes para uma análise sustentada das práticas performativas e do performativo das práticas, debruçando-se sobre teatro, dança, arte da performance, rituais, dramas sociais e práticas incorporadas. Considerando as formas de expressão cultural como prática e como episteme, partem do princípio que a experiência pode ser compreendida como um modo de saber e de conhecer, o que transporta consigo consequências metodológicas e políticas. Metodológicas na medida em que pensar o trabalho de campo como performance questiona a ideia da simples “recolha de dados” de um observador sobre um observado; políticas, porque situadas (não neutras), e porque atentas à forma (performativa) como se reproduzem, sustentam, subvertem, criticam, e naturalizam as ideias, os discursos e as práticas.


O CURSO

Tomar Posição, Curso Experimental em Estudos de Performance, tem lugar entre Setembro e Dezembro de 2016. O Curso comporta uma oficina continuada, Problemas em Estudos de Performance, que se constitui como fio condutor estendendo-se ao longo de todo o curso, e três eixos temáticos com duração mensal: Práticas Urbanas Situadas, Incorporações da Linguagem e Do Arquivo como Gesto – Travessias Digitais. Afirmando a contingência da produção de pensamento crítico, o curso caracteriza-se por uma estreita relação entre o performativo e o experimental, privilegiando a conversação entre as diferentes disciplinas: teatro, dança, música, performance, arquitectura, antropologia, filosofia, política, história, teoria crítica, literatura.

Inaugurando com Tomar Posição | o Político e o Lugar, um ciclo de três dias em que se dão as boas vindas aos participantes, o curso arranca com um conjunto de performances e debates, apresentações e lançamento de edições, numa abertura à conversa em que a posição – geográfica, sociocultural, linguística – de onde se fala é ponto de partida para uma imaginação dialogante com um campo de estudos maioritariamente anglófono. A problematização do contexto onde nos situamos, conjugando-se com a necessidade de criar condições para re-imaginar noções não redutoras de identidade e pertença, insere-se na reflexão sobre um mundo pós-colonial descentrado que tem caracterizado o baldio, nomeadamente através do recurso a práticas e discursos que não se limitam ao cânone europeu.

Para além de uma introdução ao Curso que apresentará as várias oficinas, este ciclo apresenta igualmente a performance Cidade Oráculo de Fernanda Eugénio, o objecto performativo Inter(in)animated Archives de Paula Caspão, e o lançamento da revista Jeux Sans Frontières #2 – on spaces of Resistance and Practices of Invention, por Ana Bigotte Vieira, Nuno Leão e Sandra Lang (a confirmar), com moderação de Marta Lança (BUALA) e convidado a anunciar.

O curso termina com um ciclo final de três dias, concebido como espaço para apresentação e discussão dos processos de investigação desenvolvidos pelos participantes entre Setembro e Dezembro.


Oficina Continuada | Problemas em Estudos de Performance
19 de Setembro a 5 de Dezembro, Segundas-feiras, das 18h30 às 21h30 (12 sessões)

Três Eixos Temáticos | Práticas Urbanas Situadas (Fernanda Eugénio e Joana Braga); Incorporações da Linguagem (Ana Mira e Ricardo Seiça Salgado); Do Arquivo como Gesto – Travessias Digitais (Ana Bigotte Vieira, Ana Riscado e Paula Caspão)
Setembro, Outubro, Dezembro 2016, Terças e Quartas-feiras, das 18h30 às 21h30

Práticas Urbanas Situadas | Fernanda Eugénio e Joana Braga
20 de Setembro a 12 de Outubro 2016, Terças e Quartas-feiras, das 18h30 às 21h30 (8 sessões)

Incorporações da Linguagem | Ana Mira e Ricardo Seiça Salgado
18 de Outubro e 9 de Novembro 2016, Terças e Quartas-feiras, das 18h30 às 21h30 (8 sessões)

Do Arquivo como Gesto – Travessias Digitais | Ana Bigotte Vieira, Ana Riscado e Paula Caspão
15 de Novembro a 7 de Dezembro 2016, Terças e Quartas-feiras, das 18h30 às 21h30 (8 sessões)


Mais informações (destinatários, nº horas, inscrições, prazos) > link
Descarregar desdobrável > link


cartaz-baldio


Iniciativa (Curated by): baldio | Estudos de Performance

Financiamento (Funding): República Portuguesa Cultura / Direcção Geral das Artes
Parceiros (Partners): And_Lab, BUALA Associação Cultural, Jeux Sans Frontières, Projecto BUH!

Apoio (Support): Câmara Municipal de Lisboa | Pólo Cultural Gaivotas-Boavista, O Espaço do Tempo, Fórum Dança, O Rumo do Fumo.

Centros de Investigação Portugal (Research Centres Portugal): IHC – Instituto de História Contemporânea (FCSH/UNL), CRIA – Centro em Rede de Investigação em Antropologia (FCSH/UNL, FCT/UC, ISCTE/IUL,UM), CET – Centro de Estudos de Teatro (FL/UL)

Centros de Investigação Brasil (Research Centres Brazil): CESAP – Centro de Estudos Sociais Aplicados (UCAM/IUPRJ), CORPOREILABS (UFRJ/UFF/FAV), R.A.I.U. – Rede de Pesquisa Luso-Brasileira em Artes e Intervenções Urbanas (Lajus UFC) e Jongo da Serrinha.

Agradecimentos (Thanks to): André Lepecki (Professor no Departamento de Performance Studies/Tish School of Arts New York University), FITEI Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, Teatro Praga, Seminário Nómada Estudos da Performance

Créditos Imagem (Image Credits): Cidade-Jardim, Isabel Brison
Design Gráfico (Graphic Design): Marco Balesteros (letra.com.pt)

Details

Date:
12/09/2016
Event Categories:
,

Organizers

BALDIO
Vários organizadores

Venue

Escola das Gaivotas
Rua das Gaivotas nº 6
Lisboa, Portugal
+ Google Map