É Boi, É Boizinho: memória, etnografia e salvaguarda das chegas de bois no Norte de Portugal

Investigador responsável: Cristiano Pereira
Grupo de investigação: Práticas e Políticas da Cultura
Tipo de projeto: Doutoramento
Estado: Em curso
Palavras-chave: Chegas de bois | Relação humanos animais não-humanos | Norte de Portugal


Instituição principal: CRIA
Instituições participantes: n.a.
Financiamento: FCT
Referência: PD/BD/137434/2018
Data de início: 2018

Mais informação:

Resumo

As chegas de bois são combates de touros presentes em diversos concelhos do Norte de Portugal. Em vários desses concelhos, como Montalegre, durante várias décadas, eram realizadas entre bois do povo, simbolizando o combate entre duas aldeias contundentes. Porém, após o fim do comunitarismo, as chegas conheceram diversas alterações, como o surgimento de combates entre touros de proprietários privados ou a organização de campeonatos. Além de recolher memórias sobre o período do boi do povo, pretendemos, essencialmente através da observação participante, analisar as alterações das chegas no passado recente e as suas dinâmicas atuais. A relação entre os proprietários e os seus touros de combate será aborda em articulação com a atual reavaliação (científica e ética) da relação entre humanos e não-humanos. Procurando, ainda, formular uma intervenção museológica e considerar as implicações do interesse pela salvaguarda de práticas tradicionais, sobretudo, quando são controversas.

Investigadores do CRIA

IDNomeFunçãoProjTítuloTipo de projetoEstado
pub74*Jean-Yves DurandOrientador/Supervisorproj375*É Boi, É Boizinho: memória, etnografia e salvaguarda das chegas de bois no Norte de PortugalDoutoramentoEm curso
pub604*Cristiano PereiraInvestigador Responsávelproj375*É Boi, É Boizinho: memória, etnografia e salvaguarda das chegas de bois no Norte de PortugalDoutoramentoEm curso
Outros investigadores

InvestigadorFunçãoInstituiçãoProjOutrosTitulo_PT